Gestão Transversal
Soluções em Responsabilidade Social e Ambiental

WhatsApp/Tel: (21) 99906-8920
Email: contato@gestaotransversal.com.br

Endereço:
R. Jardim Botânico, 568 - Jardim Botânico, Rio de Janeiro - RJ

Mostrar no Google Maps

Fundo das Nações Unidas para Infância lembra que 77 milhões de crianças não retornaram às salas de aula desde o começo da pandemia.

 O Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, está promovendo um apagão em suas redes sociais por 18 horas.

Desde o começo da pandemia de Covid-19, há 18 meses, crianças e adolescentes ficaram sem acesso à educação.

Cada hora que agência fica fora do ar, equivale a um mês em que jovens do mundo todo estão fora das salas de aula.

A intenção da campanha “Reopen Schools”, ou Reabra Escolas, é mandar uma mensagem para que instituições de ensino sejam reabertas com urgência em todo o mundo.

Números

De acordo com o Unicef, as consequências da pandemia vêm gerando uma crise sem precedentes na educação mundial.

Um em cada três estudantes está sem acesso às aulas de forma remota há mais de um ano e meio.

Cerca de 77 milhões de estudantes estão com acesso limitado às instituições de ensino e conteúdo disciplinar.

A Unesco, Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, também apresenta dados sobre a situação.

A agência apurou que escolas reabriram totalmente em 117 países, levando mais de 500 milhões de crianças de volta à rotina pedagógica.

Em comparação com setembro de 2020, o número subiu em cerca de 20%, quando apenas 94 países haviam retomado às aulas presenciais.

Vulnerabilidade

Uma das principais preocupações da Unicef é que, em lugares mais vulneráveis, jovens comecem a trabalhar precocemente e não sejam escolarizados.

Outros fatores pontuados pela agência pelo retorno às escolas, como risco alimentar e aumento nos níveis de ansiedade, também são destacados pela Organização Mundial da Saúde.

Precauções

Embora os dados mostrem que escolas não foram os principais atores na propagação de Covid-19, a Unicef lembra de cuidados que devem ser tomados no retorno às aulas.

Uso de máscaras, limpeza frequente de mãos e de superfícies, ventilação adequada, classes com menos alunos, turnos para o uso de áreas comuns e a priorização de professores na fila da vacinação são alguns deles.